Origens do Shamisen

A maioria dos instrumentos o qual entraram no Japão vieram através da China e da Coréia antes do período Nara (710-794 D.C.) e então modificadas e adaptadas ao gostos dos indígenas no Japão. Porém a história do Shamisen começa em meados do século XVI, durante o período Eiroku (1558-1570), últimos anos do período Muromachi (1333-1573). Alguns documentos reivindicam que o instrumento Sanshin do Reino Ryukyu (atualmente província de Okinawa – Japão) foi introduzido em Sakai (cidade parte da província de Osaka) em 1562, depois do qual foram feitas alterações no instrumento diferenciando assim o instrumento Okinawano com o Japonês.

asia_gen

Da esquerda para direta você verá: Houbusi da Mongólia, Sanxian da China, Sanshin de Okinawa e o Shamisen do Japão. A forma original do Sanshin é derivado do Sanxian que por sua vez pode ser rastreado sua origem do Oriente Médio e instrumentos tradicionais do Tibet. A explicação mais recorrente é que o Sanxian foi estabelecido na dinastia Yuan na China (1272-1368) e mais tarde levado para Okinawa.

É possível notar algumas diferenças, as dimensões dos instrumentos variaram em cada região. Até chegar em Okinawa a pele que cobre o corpo era feito de pele de cobra, enquanto no Japão passou a ser usado pele de cão ou gato. A maneira de tocar do Shamisen foi usado o Bachi, com certa similaridade do instrumento Biwa, popular no período em que o Shamisen chegou ao Japão, enquanto os outros instrumentos são tocados com o dedo ou um dedal.

bachi

No período em que o Shamisen se desenvolvia o Japão adotava uma política de isolamento com todo o resto do mundo. Nesse momento os Europeus, liderados principalmente por Portugueses e Espanhóis chegavam ao Japão através das cruzadas que inicialmente almejavam a Índia. Durante um breve tempo de encontro das duas culturas, os interesses políticos entram em conflito. Sendo banido do Japão o Catolicismo e toda a cultura musical européia também.

De uma certa forma com o desenvolvimento do Shamisen, este passou a ocupar parte do território onde se tocava Biwa. Pelo fato do Shamisen ser mais leve e mais fácil de ser manejado. A imagem a seguir é do instrumento Biwa, já presente em todo o Japão antes da chegada do Shamisen.

biwaimage1

O Shamisen era um instrumento de acompanhamento de voz e dois estilos musicais distintos se desenvolveram:

O primeiro estilo musical, Katarimono (narrativa), foi praticado pelos monges tocadores de Biwa. Katarimono, também conhecido como Joruri. Este tipo de narrativa era usado também em peças teatrais como Kabuki. Veja um exemplo:

O segundo estilo é o Utamono (canção), o qual deu origem aos gêneros como Jiuta, Nagauta, Ogie-bushi, Hauta, Utagawa e Kouta. A seguir um Jiuta, com a canção Shichi Fukujin performado pela Ueda Keiko:

No começo do século XX, no norte do Japão, na região de Honshu. Músicos cegos começaram a desenvolver um novo estilo de shamisen que era baseado nas músicas folclóricas, porém com maior virtuosidade chamado de Tsugaru Shamisen. (Teremos capítulos especialmente dedicados a esse estilo neste Blog). Segue um exemplo de um expoente neste gênero Takahashi Chikuzan:

Algumas observações para fechamento deste post seria que o Shamisen passou a ser desenvolvido em território Japonês onde já havia uma sociedade complexa em uma época onde a Europa buscava as colonizações e o Brasil acabava de ser “descoberto” e se desenvolvia como colônia Portuguesa. Assim como o Violão se difundiu em diversos gêneros no Brasil como Música Caipira, Sertanejo, Samba, Chorô, Baião, Bossa Nova, Mpb (etc). O Shamisen foi introduzido em diversos segmentos da sociedade Japonesa, tendo diferentes conotações em cada contexto religioso, aristocrático, popular e até mesmo pessoas excluídas das sociedade, apenas mantenha em mente que se trata de uma sociedade complexa sobre tudo pelo seu tempo de fundação como nação.

Apesar de toda a cultura japonesa ter sido influenciada  principalmente pela China, que era um país muito a frente em desenvolvimento cultural até o século XIX. Toda estética e desenvolvimento cultural passou por um rigoroso “refinamento” com extensas regras de conduta e polidez. Tanto que quando os portugueses chegaram ao Japão, foi um dos únicos lugares onde tiveram um relacionamento de “igual para igual”, se você tiver como exemplo que no século XVI os japoneses já tomavam banhos, enquanto os Europeus pareciam bárbaros nesse aspecto.

No período de introdução do Shamisen no Japão, logo em seguida foram fechados toda a comunicação com estrangeiros, principalmente europeus e assim ficaram por 200 anos, ou seja, muitas gerações cresceram e morreram apenas conhecendo sua própria cultura interna levando assim a uma estética singular nesse período. Não obstante dizer que a estética erudita tradicional do Japão poderia ser comparada a estética excêntrica contemporânea acadêmica ocidental. Se utilizando de ruídos, “expressionismo” nas musicas vocais, abstração do tempo…

Um último adendo é que o desenvolvimento do instrumento ao longo do tempo e espaço geográfico apontado no início do post não significa a extinção dos instrumento de origem. Todos os instrumentos se mantem vivo em suas devidas regiões. A sequencia de cada instrumento deve ser encarada mais como uma adaptação cultural de cada país do que um sentido evolutivo.

Nos vemos até o próximo post.

Fontes:

  • Livro, Composing for Japanese Instruments – Minoru Miki
  • Artigo, Shamisen Music: Its history and characteristics
  • Livro, The Shamisen: Tradition and Diverty

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s