Preservação do Tsugaru Shamisen – Niya no TEDx Sapporo

(Texto de livre tradução e adaptação) (Conferência publicada em setembro de 2014)

Resumo:

Niya toca o Tsugaru Shamisen. Nesta conversa ele conta sobre sua história, as valiosas lições de seu mestre e da realidade que o Tsugaru Shamisen está inserido na atualidade. O qual o instrumento, a música e comunidade vem decrescendo todos os dias.

 

Sobre Niya:

Ele cresceu na ilha de Yagishiri ao norte de Hokkaido (província ao norte do Japão). Se deparando sem querer com o Tsugaru Shamisen na televisão, que pelo som único prendeu sua atenção. Desejando tocar esse instrumento.

Desde então Niya tem realizado diversas performances como em: Tóquio,  Nova Iorque (Carnegie Hall), Taiwan (templo Dalongdong, Baoan), Turquia, Tailândia, fora as performances regulares em casas de show desafinado as possibilidades do Tsugaru Shamisen, fazendo parcerias com DJ, performances em desfile de moda, big band e muito mais.

Ganhando vários prêmios como: terceiro lugar na secção junior e primeiro lugar no conjunto de secção de “Conveção Nacional de 2008 deTsugaru Shamisen”, o qual foi realizada em Hirosaki e ficou em segundo lugar na classe B em 2012, o primeiro na classe A em 2013 na “Tsugaru Shamisen Japan Championship”, realizado em Aomori.

Lições de seu Mestre:

Começou a aprender Shamisen aos 7 anos de idade se tornando aprendiz de Toshihiko Sato, a terceira geração do melhor tocador de Tsugaru Shamisen do Japão. Nessa conversa Niya deixa dois importantes ensinamentos deixado pelo seu mestre:

1º lição é que o ser humano é mais importante que a música. Não importa o quão bom musicalmente seja, se você não é bom como ser humano, você não pode viver dessa forma. Se for uma má pessoa, você provavelmente pode não ser chamado para tocar e perder várias oportunidades.

a 2º lição é que não existe música sem morte. Foi preciso vários animais para fazer o instrumento, por exemplo: Itomaki (tarraxa) é feita de presa de elefante, o bachi é feito de casca de tartaruga (e de chifre de búfalo ou presa de elefante), a pele do corpo é feita de pele de cachorro no Tsugaru Shamisen (em outros modelos de shamisen é usado pelo de gato). Então é importante tocar muito o instrumento como uma forma de se oferendar por esse sacrifício.

Contexto atual:

Diz Niya, comparado com o passado, existe cada vez menos oportunidades de se ouvir Shamisen ao vivo. No passado, as comunidades ouviam música folclórica, e tiravam forças disso. Estas músicas eram a trilha sonora diária das suas vidas. Agora nós apenas podemos ouvir Shamisen ao vivo nos festivais de verão, ano novo ou outro evento especial.

Mesmo agora o Tsugaru Shamisen são feitos por Luthier profissionais, mas existe cada vez menos e menos esse tipo de profissão. Através do uso de máquinas, a demanda por Luthier se torna limitada, causando um grande distúrbio no cenário local.

Niya se propõe então em focar na inspiração das músicas folclóricas, construindo uma base sólida na música tradicional, levar o ensinamento para as novas gerações, explorar novas forma de se tocar o instrumento e mostrar o instrumento para além do Japão.

Conheça um pouco do trabalho atual de Niya:

Fontes:

TEDx

Site oficial Niya

Fanpage

Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s